Sindicato Classisista e de Luta fale conosco
Notícias

Notícias

REUNIÃO COM REGIONAL DO BRADESCO DISCUTE DEMANDAS FUNCIONAIS.

Ícone Calendário21/03/2018
REUNIÃO COM REGIONAL DO BRADESCO DISCUTE DEMANDAS FUNCIONAIS.

 

 

 

A reunião aconteceu nesta quarta(21), no prédio da Gerência Regional do Bradesco, em Feira de Santana.

Na oportunidade, diretores do sindicato, funcionários  do banco, juntamente com a Presidenta Sandra Freitas, discorreram sobre várias situações que os funcionários vêm passando, como: Sobrecarga de trabalho devido o número reduzido de funcionários  e o aumento substancial de clientes; falta de segurança nos autoatendimentos, o que tem exposto funcionários a agressões de clientes insatisfeitos; pagamento das comissões para aqueles que são promovidos e passam muito tempo até receber o pagamento pela função desempenhada;  implantação do programa Smart,  que tem trazido pânico para os funcionários devido a ameaças de desemprego àqueles que se enquadrem na "NÃO CONFORMIDADE", que acontece quando os funcionários recebem 3 avaliações negativas por não telefonar para um cliente específico ou quando o  cliente, após consultado pelo banco sobre a qualidade no atendimento do bancário, que a depender da resposta tem sido a desculpa (motivo) de demissão para reduzir ainda mais o quadro.

 

O Sindicato, que foi muito bem recebido pela Sra Adriana, protocolou uma correspondência ao banco(veja íntegra no site) apontando e pedindo solução para todos esses problemas citados.

A gestora fez suas ponderações e assegurou que buscaria, dentro das suas possibilidades, alternativas para sanar ou, no mínimo, amenizar todas aquelas situações expostas.

 

Foi uma boa reunião, onde as partes fizeram suas colocações, tratando de maneira objetiva e madura os problemas das agências e  dos empregados.

 

O sindicato tem a confiança de que providências serão tomadas para que atenue o sofrimento dos Bancários e clientes no Interior das agências, com mais funcionários para atender melhor a população e melhores condições de trabalho.

Participaram da Reunião pelo Banco, a Diretora Regional, Adriana Bianconi e seu Assessor, Diego. Pelo sindicato: Sandra Freitas, Edmilson Cerqueira, Eraldo Cruz e Sergio Carvalho(Ag Senhor dos Passos), Florêncio Mattos e José Venas (exHSBC), Luiz Carlos, Marcelo Araújo (236), Rubenilson Mascarenhas (3516) e Wanderlon Cordeiro (Getúlio Vargas).

 

FEIRA DE SANTANA, 21 de Março de 2018.

 

 

 

Ilma. Senhora

Adriana  Bianconi

Diretora Regional do  Banco Bradesco S/A

 

 

Prezada Senhora,

 

 

O Sindicato dos Bancários de Feira de Santana, em nome dos funcionários e usuários dos serviços do Banco Bradesco S/A, na cidade vem, respeitosamente, apontar demandas e solicitar de V.Sª ações no sentido de melhorar a qualidade no local de trabalho e de atendimento para o nosso povo, de maneira que condiga com o que o banco prega em seus manuais e com o que propaga nos meios de comunicação.

 

Nos últimos anos, com o aumento de clientes e serviços (metas), a demanda tem aumentado substancialmente e, consequentemente, necessitando também do aumento de mão de obra, pois os funcionários, além de trabalhar acima do previsto, sofrem com a questão do desvio de função, por um longo tempo, dos gerentes operacionais que se revezam entre seus afazeres e os dos caixas, e os caixas revezando-se com tesoureiros.

 

Porém, com todo esse aumento na demanda, observa-se um número tímido e insuficiente de contratações para fazer face às necessidades apresentadas, forçando aos trabalhadores uma carga horária muito além do que estabelece a Lei (jornada de 6 horas que é uma conquista dos bancários prevista na CLT), o que se reflete no adoecimento do quadro, em razão da sobrecarga e do ritmo acelerado de trabalho. Um exemplo claro é o fato de o funcionário precisar entrar mais cedo no banco para atender clientes/usuários antes do horário da abertura da agência pois, muitas vezes ele trabalha até o final do dia com apenas 15 minutos de almoço. Isso contribui muito para o adoecimento do trabalhador. Pedimos atenção, também, para o cuidado com o trabalhador que retorna, após afastamento provocado pelo desenvolvimento da sua função, para que não volte a fazer o trabalho que foi o causador da sua doença.

 

É importante lembrar que a cidade de Feira de Santana tem apenas 32 agências bancárias (sendo apenas 6 do Bradesco) com uma população de mais de 600 mil habitantes e que, por ser o maior centro comercial do interior da Bahia, recebe visitantes de diversos lugares do país, chegando a ter, em média, 1 milhão de pessoas dependendo de serviços bancários que se apertam por horas, diariamente, nos pequenos espaços destinados ao atendimento. Fato esse que tem provocado um grande descontentamento por parte dos clientes/usuários que, num momento de fúria incontrolável devido a superlotação da agência, já chegaram a agredir física e moralmente funcionários que ficam nos saguões de autoatendimento com uma multidão, sem ter, sequer, um vigilante para lhe dar segurança. Piora ainda mais quando acontece algum ataque a agências do interior, pois a clientela de lá se desloca pra nossa cidade, transformando as agências num inferno.

 

Em razão desses problemas e com a intenção de amenizar o sofrimento dos funcionários e as constantes irritações dos clientes percebidas em todas as unidades, gostaríamos de contar com sua compreensão e pedir-lhe um maior empenho para a contratação de funcionários e um melhor sistema de segurança, no sentido de devolver a todos um ambiente saudável, oferecendo ao nosso povo mais respeito e dignidade.

 

As unidades do Bradesco em Feira de Santana têm sido alvo de críticas pela Imprensa e sempre vêm recebendo denúncias dos usuários do péssimo atendimento por eles sofridos e a constante demora nas filas, devido à falta de funcionários ocasionando reclamações ao PROCON.

 

Os funcionários têm passado maus bocados, pois, quando alguém sai de férias ou adoece, devido ao quadro tão enxuto, não tem quem substitua. Com isso, os funcionários se desdobram para dar conta da demanda.

 

Outro ponto que tem levado PÂNICO aos trabalhadores é a questão da "não conformidade". Como trabalhar em paz com uma sombra negra dessa por trás?

Se o cliente avaliar, sem razão, um funcionário negativamente, ele poderá ser demitido? Isso é uma tortura!

 

Tem também os casos em que o banco designa funcionários para cobrir a falta de outros em agências de cidades vizinhas, ou não, onde a empresa só custeia uma passagem de ida e volta o que obriga o empregado a passar a semana fora do seu lar, causando transtorno na vida pessoal a exemplo de família, estudos, cursos e outros. Salvo se ele arcar com as despesas de transporte do próprio bolso.

 

Por fim, outra situação que nos trouxe surpresa, e que REPUDIAMOS, é o fato de o banco disponibilizar formulário no sistema para que o funcionário opte ou não pela Contribuição Sindical, ainda que não conste essa orientação na famigerada Reforma Trabalhista(Lei 13.367/17), o que demonstra o interesse do Bradesco em tentar enfraquecer as entidades, representantes legítimas dos trabalhadores.

 

No aguardo de vermos um pouco dos 19.024 bilhões de lucro gerados em 2017 por esses funcionários e por essa população, revertidos na melhoria das condições de trabalho, na geração de mais empregos, num atendimento de qualidade e seguro, e percebermos a efetiva solução para esses inconvenientes, voltando a identificar no quadro funcional, o orgulho de fazer parte dessa empresa, assim como notar nos olhos do povo a satisfação de ser respeitado por uma instituição que tem um nome a zelar, subscrevemo-nos,

 

 

Atenciosamente,

 

_____________________________________

Maria Sandra Lima de Freitas - Presidenta

 


 

 

Parceiros

Parceiros

  • Contraf
  • Federação dos Bancários
  • Bancários Classistas
  • AFBNB
  • Fenae
  • Vermelho
  • ANABB
  • CTB
Enquete

Enquete

PARA VC O GOVERNO BOLSONARO